sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

FANTASIAR

* Por Priscila dos Santos Trindade

Oh ideologia perspicaz
Que me acorrenta sem misericórdia
Tenho medo de me perder por ser incapaz
De recuperar, sem ti, a minha tranquilidade

Seria tu a razão de eu não tê-la
Será que achas justo tamanha crueldade?
Deitar e me afogar em desejos cruéis de sentinela
Me achar banal em sua tamanha intensidade

Devia ter me importado aquém de tanta seriedade
Porque ainda que esnobe minhas afeições
Não teria eu que me afogar aos prantos por ti
Que há eu de nem chorar a última gota
Dane-se a coerência dos sentimentos
Gozar da fantasia é amar toda esta estupidez.

* Priscila dos Santos Trindade cursa Letras com Inglês na UEFS.

7 comentários:

As mais visitadas postagens da Graduando

Graduandantes