sexta-feira, 11 de abril de 2014

DISCURSO DE FORMATURA - LETRAS VERNÁCULAS 2013.2

Por Jaciene Andrade*


Excelentíssimo Senhor Vice-Reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Professor Genival Corrêa de Souza, Pró-reitor de Graduação Professor Rubens Pereira, queridos paraninfo e patrono da turma, demais homenageados, caras colegas formandas, familiares e amigos, muito boa noite.

Agradeço a Deus por viver este momento único, e à turma por haver ofertado a mim o privilégio de ser sua voz em ocasião tão especial.

A palavra com a qual Guimarães Rosa conclui seu livro “Grande Sertão: veredas” é a mesma com que desejo iniciar este discurso – travessia. Travessia foi nosso gesto inicial. Há quatro anos, nos deslocamos de nossas casas todos os dias em direção a esta Universidade, nos movemos em função de um sonho, e assim alinhamos nossas trajetórias individuais.
  
No entanto, neste momento em que se anuncia o fim da estrada, ao olharmos para trás, percebemos mais claramente as marcas de uma outra travessia que realizamos. Esse movimento de passagem ocorreu contínuo e gradual, de forma que não o sentimos no exato momento em que o vivemos. Porém, sabemos que atravessamos, porque cada marca deixada no caminho produziu enormes mudanças em nós. Percebam: a semente germinada é o resultado de mudanças silenciosas que ocorrem primeiro por dentro. Travessia é aprendizagem e toda aprendizagem, por menor que seja, nos transforma.

Hoje nos reconhecemos pessoas diferentes, estamos em processo de travessia. Enquanto construíamos nosso caminho, criamos e fomos criadas, crescemos juntas. Olhando a paisagem, sentimos que o mundo já não é mais o mesmo, não só pelas mudanças próprias à dinâmica da vida, mas também porque, para nós, já não é mais possível vê-lo da mesma forma. Nossos olhares foram alterados pela impressão de tudo o que vimos na travessia. 
As práticas de leitura que desenvolvemos nos fazem mais atentas para ler o mundo sob várias lentes e, por isso mesmo, mais responsáveis pelo que faremos como resposta a essas leituras. Temos o compromisso de colaborar na formação de cidadãos melhores, indivíduos críticos, capazes de falar e ouvir, usando a linguagem para exercer o direito de se posicionar no mundo. Assumimos a importante função de promover o diálogo, porque dialogar é fazer as palavras atravessarem quem somos a fim de tocar nosso outro.

Somos igualmente diferentes, e é isso que faz de nós um grupo produtivo, alegre, criativo. Aprendemos que nunca saberemos tudo, mas não nos entristece o peso da imaturidade. Afinal, quem na vida é tão experiente que nunca possa ser surpreendido por ela? Como já nos disse em poesia Mário Quintana: só ganhamos, toda a vida, inexperiência e esperança.

Providos dessa esperança, aceitamos o desafio de construir nosso futuro. Assim, agradecemos à UEFS por ter sido espaço de nossa formação, e de tantos encontros especiais. Agradecemos aos mestres, nossa inspiração. Aos familiares e amigos, agradecemos o singular apoio na caminhada. Às colegas, digo que ainda não sei separar em mim até onde é alegria, até onde é saudade. Dentre tantas coisas, agradeço principalmente pelo brilho nos olhos, sinal de amor que não falha quando a emoção é maior que palavras.

Desejo que o medo nunca nos seja prisão; que nos acompanhem a fé no sonho, a perseverança em caminhar, e a leveza de uma consciência tranquila. Diante das perdas, não nos intimidemos, porque inverno é fábrica de primaveras. Lembremo-nos sempre do verso de Ricardo Reis: “Põe quanto és no mínimo que fazes”. Para tudo na vida, se queremos fazer bem, então que façamos o Bem.

Já que saudade é não querer o ponto final, que seja uma vírgula este momento, porque tudo é recomeço, reenlace. Instantes de uma travessia maior à qual chamamos vida! E, para prosseguir, só nos resta ouvir Cecília Meireles: “Com agulhas de prata, /de brilho tão fino, / Bordai as sedas do vosso destino”. Muito obrigada!


* Jaciene Andrade é graduada em Licenciatura em Letras Vernáculas e mestranda em Estudos Literários pela UEFS.

9 comentários:

  1. Lindo discurso, Jaci. Não poderíamos esperar algo de menor beleza de alguém tão especial quanto você. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente a possibilidade de me emocionar outra vez, Jaci. Muiiito bem! Parabéns! Seu amigo, Téo!

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!!! Parabéns... sua caminhada será maravilhosa.... abração.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo texto Jaci! Parabéns graduada em letras! ^^

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto, Jaci! Parabéns graduada em letras! ^^

    ResponderExcluir

As mais visitadas postagens da Graduando

Graduandantes