sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Poemas

Por Alice Margaso*


Nossa delicadeza

Serei como as flores,
que abandonam as lembranças
Lançando-se sobre o solo,
a última beleza
Serei como um corpo pós-revolução,
com os restos e pedaços,
de uma vida deixada sem glória
Talvez, eu tentasse mais a esperança que a alegria
E mesmo assim, pequeno e duro
Guardarei a paixão
Como quem fala de magia e
coisas para o coração
Esperarei, também, por
7 dias para desabrochar...e
se caso o beijo não for devagar
Tentarei não lembrar,
da rosa que te entreguei
Pois...
Tu seguraste e sufocaste
Como se amassasse
O meu coração
Na delicadeza do vosso amor.



O ar das flores

Como o céu expulsa o azul
Expulsarei do meu corpo
Toda essa dor
Como um poeta expulsa
Do coração uma paixão
Direi coisas que as palavras
não suportarão
O peso da frustração
E tudo agora,
é apenas desespero
Mas, sinto que na alma,
Ainda existe uma canção
Como se fosse o último sonho,
de um louco à beira da lucidez do amor
Expulsarei de mim a voz
Para alcançar os teus sentidos
Deixar-me-ei em perigo,
nessas madrugadas urbanas
Livrarei da minha própria sombra
Procurarei teus olhos
Como uma borboleta
Dentro do casulo
Deseja voar
Sair e expulsar toda essa paixão
Levantar asas até se afastar
Esquecer o chão
E tornar-me o ar.


* Alice Margaso é graduada em história da arte, poetisa e crítica de arte.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

COISAS DE MIM... PARTE 2

Por Edilene Barboza*


... Embora eu tivesse encontrado o chamado “Meu Amor Maior” e ter saído de vez daquele lugar, algo em mim continuara aflorado a ele. Passei dias, semanas, ainda sentindo aquele bairro em minhas entranhas. Flashes vinham à tona nos circuitos cerebrais de minhas memórias. Mas NADA! NADA conseguia extrair de dentro delas... Repeti várias e várias vezes que NUNCA mais iria voltar àquele lugar. Não, nunca mais, mesmo morrendo de vontade de saber o que eu tinha esquecido lá, deixado pra trás, sei lá... Não iria!Mas, algo estava mais do que vivo dentro de mim, e agora?... Tentando me sincronizar à nova vida, nova casa, novo bairro, sentir novos ares, conhecer novas pessoas, lugares diferentes, meu novo mundo! Ainda assim, Ele me perseguia, como vulto, durante todo o dia!...Tranquila demais para que algo me tirasse a paz!... Mas que Paz? Mental? Espiritual? Emocional? Taí! Era isso! Ôh, não! De novo NÃÃÃOOO!!! Nesse instante me deparei com o meu coração batendo em ritmo acelerado!!! É isso! Ainda deixei emoções fortes por lá! E, já deitada em minha cama, pronta para dormir... Meu Whatsapp chama!... Era um número desconhecido, sem foto de perfil, e logo foi taxativo dizendo: 

- Por favor, não me bloqueie novamente, preciso de você!... 

Respondi:

- HÃÃÃNN??? Como assim? Quem é você? Se não falar vou te bloquear! MUDO!... Não vai responder??? Um... Dois...

- Não, espere! Respondeu Ele. Deixe-me reapresentar a você. Em um final de tarde, eu estava aguardando o ônibus para ir à minha casa e, quando ele chegou, entrei pela porta do meio e lá estava você, que olhou para mim e logo de cara criticou a camisa que eu estava vestindo. A imagem na camisa era de um Touro, e você me contou sobre a lenda taurina completa, ainda me perguntou se eu torcia pelo Fluminense de Feira! Rsrsrs... Eu só olhava você, seu jeito de falar, seus gestos, sua boca, me deu vontade de te beijar ali mesmo, com toda aquela gente olhando! Rsrsrs...

- Não me recordo disso! Não vai falar quem é? Vou bloquear! Um... Dois... Disse-lhe.

- Espere! Espere! Respondeu. Teve outro acontecimento que você vai lembrar!... 

- Então tá! Diz!... Falei.

Continuou: 

- Te convidei para irmos assistir o pôr do Sol na UEFS, marcamos, o dia estava perfeito, e fui. Mas você me deu um bolo! ...

- Ah! PARA! Já sei quem você é! O cara chato, que quase me beijou dentro do “Buzu”, aliás, ainda me deu um beijo no meu ombro, quando o “motor” deu uma freada e quase caí em cima de você! Quanto a ver o pôr do sol na UEFS, eu estava lá no dia marcado, mas não pude sair da sala. Rsrsrs...Hum... Lembrei! Sim, e daí?... 

- E daí que ando te procurando nas minhas viagens de ônibus daqui do bairro, pra ver se te encontro novamente, pois você me bloqueou e deixou coisas no ar!... E... Estou aqui pertinho de você, posso te ver agora?... Perguntou ele.

- Desculpa, mas eu não moro mais aí! Nesse bairro!... Respondi.

E para a minha surpresa, o universo mais uma vez quis falar comigo através desse lugar. Pois o beijo Dele subiu mais um pouquinho e desceu! Rsrsrsrs!!!

Feliz por ter fechado este ciclo, tendo em mente que a sincronização entre minha alma e a Dele nos unirá para sempre!


* Edilene Barboza é graduanda em Letras com Francês da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

As mais visitadas postagens da Graduando

Graduandantes