domingo, 18 de dezembro de 2011

Eu vi...


O Estranho mundo de Jack (Nightmare before Christmas)

Por Juliana Pacheco*

   Para entrar no clima de final de ano, nada melhor do que a resenha de um filme cheio do espírito natalino, certo? Quase certo. O estranho mundo de Jack, filme que traz no título original a referência ao natal, não é um filme sobre a festa baseada na união das famílias, no espírito de confraternização, muito menos nos momentos felizes que essas festas trazem. Não da forma tradicional.
  Começamos o filme nos dando conta disso, quando somos apresentados ao estranho mundo de Jack, como o título nacional o chama, a cidade do Halloween. Jack é o Jack Esqueleto, o rei dos sustos na cidade, uma espécie de celebridade que há anos é reconhecido como o melhor na festa de Haloween. Mas ele está cansado de tudo isso, entediado com a rotina que, ano a ano, não muda. O desmotivado Jack encontra, sem querer, a porta que vai para outra cidade, a Cidade do Natal, onde ele entra em contato com todas as coisas que ele não conhecia. Neve? Presentes? Doces? Velas? E quem é aquele tal de Papai Noel?
  Jack decide que é disso que ele precisa para mudar sua vida. O problema é que ele não consegue entender exatamente o que é essa magia que o Natal tem, nem consegue explicá-la para os outros habitantes da Cidade do Haloween. A solução é seqüestrar Papai Noel e fazer eles mesmos o Natal, para roubar esse sentimento.
  O filme foi produzido em stop motion (a técnica que feita com várias fotos dos objetos, com pequenas mudanças no posicionamento, para fazê-los parecer estar em movimento), em 1993.
Tim burton e os modelos dos personagens usados na produção
Ainda que a técnica tenha evoluído muito desde então, é incrível ver o trabalho realizado. Os três “mundos” do filme (a cidade do Haloween, a Cidade do Natal e o nosso mundo – que também aparece, já no final do filme) são extremamente complexos e bem criados, cheios de características, detalhes e belezas próprios. O visual pode ser considerado o maior trunfo do filme, já que a história contada pode não agradar a quem não é adepto dos filmes de fantasia. Ainda, o fato de ser um musical pode desagradar quem não gosta do gênero, mas as músicas criadas por Danny Elfman completam perfeitamente a trama, dentro do clima sombrio próprio do produtor, Tim Burton.
  Um filme diferente pra quem não agüenta a overdose do “clima feliz de Natal” e sabe que ninguém agüentaria 365 dias de musiquinhas, presentes, vermelho-e-verde e decorações piscantes. 






O estranho mundo de Jack (Nightmare before Christmas)
1993 - 76 min.
Direção: Henry Selick
Roteiro: Caroline Thompson (adaptado da ideia e de um poema de Tim Burton)

* Juliana Pacheco é graduanda em Letras com Inglês na UEFS e membro da equipe Graduando.

2 comentários:

  1. Vc escreve muito mal viu?! Afff

    Nem terminei, que horror!

    ResponderExcluir
  2. Quem resenha quer decalcar!

    ResponderExcluir

As mais visitadas postagens da Graduando

Graduandantes